«No regime neoliberal da autoexploração a agressão é dirigida contra si mesmo. Esta autoagressividade não converte o explorado em revolucionário, mas em depressivo.»

(Buyng-Chul Han [Seul, 1959] – filósofo e ensaísta sul-coreano, professor da Universidade das Artes de Berlim, Alemanha)

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; estou reiniciando o meu Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

O futuro está no prato

Felipe Souza
Greenpeace
09-08-2017

Documentário aborda questões sobre consumo, fome no mundo, obesidade, desperdício de alimentos e traz a mensagem de que podemos salvar o planeta através da comida


Nesta terça-feira (8 de agosto), no Cine Sala São Paulo, foi exibido o documentário “Fonte da Juventude”, do diretor Estevão Ciavatta. O filme questiona a forma de consumo dos alimentos e aborda exemplos de que é possível começar uma mudança significativa no mundo por meio da alimentação.

Segundo relatório feito pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o número de pessoas afetadas pela fome no mundo é de 108 milhões, enquanto 41 mil toneladas de alimento são desperdiçada por ano só no Brasil.

Para o diretor, o longa tenta mostrar para o mundo que é possível comer bem. “É para sensibilizar, um filme propositivo, que complexifica os desafios do ambiente alimentar do Brasil e traz soluções encontradas por brasileiros de diferentes classes sociais”, disse Ciavatta em debate após a exibição.

Para a apresentadora e chef de cozinha Bel Coelho, o maior desafio está na EDUCAÇÃO. “O movimento de mudar a alimentação no Brasil está com as crianças. São elas que vão aprender e levar para casa e para seus familiares”, defendeu ela.

No Brasil, mais da metade da população está com sobrepeso [gorda]. Um estudo divulgado pelo Ministério da Saúde revelou que o número de pessoas acima do peso no país cresceu 26,3% nos últimos dez anos. Em 2016, os obesos representavam 53,8% da população.

Gerd Sparovek (ESALQ/USP), também presente no debate, acrescentou que a abordagem do cineasta é muito necessária e sincera: “O filme fez a mágica de mostrar tudo. Mostrou a aldeia, quem produz e o pequeno produtor”.

Há vinte anos o Greenpeace questiona o modelo agrícola praticado no Brasil. Para Marina Lacôrte, da campanha de Agricultura e Alimentação, o documentário instiga a população a continuar cobrando do governo e seus representantes. “O filme mostra o quão sério é a questão da alimentação no Brasil e o quanto estamos colocando em risco a saúde das nossas crianças”.

O filme estará disponível para estudo e pode ser solicitado para uso acadêmico. Acesse o site e veja como solicitar o documentário. Veja os 4 episódios, clicando sobre cada uma das imagens abaixo:


Fonte da Juventude - Documentário

Direção e roteiro: Estevão Ciavatta
Produção executiva: Susana Campos e Denise Chaer
Direção de fotografia: Dudu Miranda e Alexandre Ramos
Imagens aéreas: Fernando Acquarone
Imagens adicionais: Carlos Nascimento
Direção de produção: Fabio Bruno
Assistência de direção e pesquisa: Raquel Valadares
Assistentes de produção: Renata Carpenter e Antonio Arraes
Finalização: Daniel Sandes e Pedro Mundim
Montagem: Bernardo Pimenta
Trilha sonora: Maravilha 8
Videografismo: Superuber
Realização: Pindorama Filmes e Novos Urbanos

Fonte: Instituto Humanitas Unisinos – Notícias – Quinta-feira, 10 de agosto de 2017 – Internet: clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.